Ministro tucano pede demissão e será substituído por Carlos Marun

O deputado Carlos Marun durante sessão da CPI da JBS- Ailton de Freitas  Ailton de Freitas  Agência O Globo

O deputado Carlos Marun durante sessão da CPI da JBS- Ailton de Freitas Ailton de Freitas Agência O Globo

O Palácio do Planalto anunciou nesse sábado (09), o convite feito pelo presidente Michel Temer ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MT) para a assumir a Secretaria de Governo.

Ontem (8.dez.2017), o titular da Pasta, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), pediu demissão do cargo.

A posse está marcada para a tarde de quinta-feira (14). A informação foi divulgada no Blog do Camatti.

À frente da Secretaria de Governo, Carlos Marun será responsável pela articulação política do governo.

"Agora precisamos novamente do apoio do Congresso para avançar com a reforma da Previdência, garantindo sustentabilidade ao sistema em benefício das próximas gerações", escreveu o ex-ministro, que reassumirá seu mandato de deputado federal.

As redes sociais do Planalto chegaram a divulgar um convite para a posse conjunta de Marun na Secretaria de Governo com o novo ministro das Cidades, Alexandre Baldy (PP), no dia 22 de novembro. A mensagem, contudo, foi logo apagada.

Marun é um dos principais aliados do presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados. A expectativa é que ele melhore o ambiente na bancada do PMDB e no "Centrão" a favor da reforma.

Marun também foi o presidente da comissão especial que analisou a reforma da Previdência. O futuro ministro também integrou, entre 2015 e 2016, a "tropa de choque" que defendia o hoje deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho de Ética da Câmara.

Ainda na lista dos "feitos" do deputado do Mato Grosso do Sul, está o destaque de seu trabalho interno pelo arquivamento das duas denúncias da Procuradoria-Geral da República contra Temer.

Latest News